-->

sábado, 27 de fevereiro de 2010

O Interruptor Diferencial Residual expõe mais conversa mole da NBR14136.

Não, não é a "Rebimboca da Parafuseta". O título é sério mesmo. Eu não ia falar sobre isso agora, mas como o Luciano mencionou o assunto nos comentários do post anterior, aqui vou eu...

Poucos no Brasil sabem, mas existe um dispositivo elétrico que, pelo seu princípio de funcionamento, pode proteger as pessoas em uma casa inteira contra choques. O dispositivo é chamado de Interruptor de Corrente de Fuga (esse foi o termo que aprendi na Escola Técnica), Interruptor Diferencial Residual ou Dispositivo Diferencial Residual. A Pial abrevia para "IDR" e você também vai encontrar como "DDR", mas a sigla oficial é "DR" apenas.


 É importante notar que o DR não é (e não serve como) um "disjuntor", apesar de se parecer com um.

O princípio de funcionamento é simples: o DR é conectado em série com um circuito inteiro (ou a casa inteira) e passam por ele tanto o fio fase quanto o neutro. O DR então compara constantemente a corrente que passa pelo fio fase com a que volta pelo fio neutro. Se houver diferença, existe uma fuga para a terra. Se essa diferença for maior que a corrente de gatilho, o DR desarma (desligando a energia) em alguns milisegundos.

 Essa fuga pode significar duas coisas:
  1. Alguém está levando um choque;
  2. Existe um outro "vazamento" de corrente em algum lugar
 O DR tem essas duas finalidades. Proteger pessoas e proteger patrimônio.

O problema de se instalar o DR em uma residência é justamente manter "2" sob controle (falarei mais sobre isso adiante).

Segundo o artigo na Wikipedia, nos EUA, dispositivos DR que tem a finalidade de proteger pessoas tem uma corrente de gatilho de meros 5mA. Aqui no Brasil só se encontra esse tipo de dispositivo no comércio com corrente de gatilho de 30mA, o que nos EUA só se aceita para proteger equipamentos e instalações.

Uma corrente de gatilho de 30mA basta para salvar uma pessoa? Não sei se basta (os americanos acham que não), mas pode, sim. E a Siemens certamente insinua que pode salvar um bebê.



Note a ironia da tomada do padrão novo na foto. Imagine um prego na mão do bebê.

Eu acabo de falar com meu ex-chefe, que é engenheiro eletrônico e ainda é chefe da manutenção da fábrica onde trabalhei e ele me confirmou que pela norma brasileira o DR de 30mA é o usado para proteger pesssoas.

E o negócio funciona. Uma vez um amigo me disse que tinha recebido um agradecimento entusiasmado de um cliente que ele convencera a instalar um DR, porque no dia anterior o filho dele saiu na chuva para abrir a garagem e na hora que enfiou a chave no portão a casa inteira desligou. O portão estava dando choque e o DR protegeu o menino.

Por que isso não é divulgado e usado em toda parte?

Boa pergunta. Eu só posso afirmar que existem dois problemas com o DR:
  1. É caro. Mas R$100 por circuito é irrelevante diante do valor de uma vida humana.
  2. A instalação elétrica e todos os seus equipamentos precisam ser livres de fugas, ou você vai acabar se irritando muito com desarmes "sem explicação".

Para tentar minimizar os transtornos ocasionados por "2" é preciso separar a casa por circuitos e usar vários DRs, evitando que um desarme ocasional deixe a casa inteira sem energia e facilitando a localização do culpado. Também não é possível usar DR no circuito que tem chuveiro elétrico, porque a fuga natural do chuveiro costuma ser maior que os 30mA. Residências simples e com instalação bem feitas, entretanto, podem funcionar perfeitamente com apenas um DR.

Apesar dos problemas, por que o governo não incentiva o uso de DRs (supostamente obrigatório desde 1990), que realmente protegem contra (edit: quase) qualquer situação de choque, em vez de soluções "meia boca" como vender tomadas com buracos na frente? O DR te protege contra equipamentos "dando choque", te protege contra descuidos ao trabalhar com instalação ligada e te protege contra fios desencapados, entre muitas outras situações perigosas. As tomadas, não. Essa é mais uma questão a se colocar na mesa quando se discute a validade da já maldita NBR14136.

Meu melhor palpite, movido pela minha total descrença na seriedade do INMETRO com essa norma, é que este seja "o próximo passo". Daqui a alguns anos vai aparecer uma campanha revelando que as tomadas protegem, mas não de tudo. E finalmente vão divulgar os DRs. Nossa indústria lucra duas vezes em vez de apenas uma.

P.S. Diante do que expus acima dá para entender por que os norte-americanos tem um padrão de plug e tomada tão "inseguro" e parecem estar se lixando para isso. Com uma norma que obriga o uso (e lá normas são levadas a sério) de DRs de 5mA, quem precisa perder tempo se preocupando com tomadas?

94 comentários:

  1. Oxysucker27/2/10 20:49

    É, sua teoria tem sentido. Iria além. A indústria vai lucrar três vezes. Primeiro vão obrigar todo mundo a usar os DRs, depois vão obrigar a trocar por DRs de 5mA.

    ResponderExcluir
  2. A propósito, o texto na página da Siemens diz:

    "Uso obrigatório em todo o território nacional conforme lei 8078/90, art. 39 - VIII, art. 12, art. 14."

    Mas a lei "8078/90" é o código de defesa do consumidor. Não sei de onde raios a Siemens tirou a relação de uma coisa com a outra.

    ResponderExcluir
  3. Eu esqueci de mencionar que o DR não tem como proteger contra choques que ocorrem quando a pessoa toca ao mesmo tempo no fase e no neutro, porque aí a corrente não circula para a terra. Porém esse tipo de choque é mais raro e a menos que você toque com uma mão no fase e a outra mão no neutro (mais raro ainda), a corrente não irá circular pelo coração, o que reduz muito o risco de morte. O DR ainda te protege na maioria dos casos e em quase todas as situações realmente com risco de vida.

    ResponderExcluir
  4. Só uma observação quanto aos chuveiros elétricos. Os que possuem resistência blindada são compatíveis com DR (http://www.geindustrial.com.br/produtos/protecao/dr/). Infelizmente esses chuveiros são bem mais caros que os chuveiros com resistência nua, bem mais comuns em residências. Além disso, creio que o DR não é mais cobrado porque:
    a) Falta de conhecimento do consumidor. Tenho certeza de que quem conhece a finalidade do equipamento cobra sua utilização;
    b) Não existe uma fiscalização efetiva. As vistorias para concessão de habite-se (realizadas pelas prefeituras) se restringem, em sua maioria, a verificar a se o imóvel cumpre com a legislação de zoneamento (recuos, área coberta, etc.) e está compatível com o projetado (dimensões e número de cômodos, número de vagas de garagem, etc.). Alguns podem dizer que o CREA poderia realizar essa fiscalização, mas sua principal função é a fiscalização do exercício profissional, isto é, verificar a participação de um engenheiro responsável pelo projeto elétrico e outro responsável pela execução da obra, não verificar se projeto e obra são compatíveis com as diversas obras existentes.
    Waldemar Nunes - Engº Civil (João Pessoa-PB).

    ResponderExcluir
  5. Muito legal! Em poucas linhas você explicou de maneira clara o funcionamento dos DR. Eu imaginava que ele também monitorava a corrente do terra, para saber que está havendo uma fuga, o que não tem sentido, pois serve para proteger alguém de uma fuga que não está passando pelo terra.

    Muito bom, também, saber da existência de chuveiros com resistência blindada. Independentemente de ter DR na instalação, eles não devem dar choque na válvula. Em casa o fio terra dá conta do recado.

    ResponderExcluir
  6. Sony,

    Os chuveiros com resistência blindada aparentemente eram mais comuns quando eu era criança. Eu não sei exatamente uando os chuveiros sem resistência blindada começaram a aparecer, mas eu levei um susto quando abri um e vi a resistência nua em contato com a água e o fio terra simplesmente "mergulhado no fluxo".

    ResponderExcluir
  7. Caramba!!! Nunca tinha ouvido falar nisso! Mais uma que aprendi! Valeu!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu gostaria de pedir que, se possivel, você incluísse explicações sobre o que é "fuga para a terra" e como detecta-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, fuga para a terra ,e toda a corrente elétrica que circula entre uma fase e a terra literalmente, você deve conhecer aquele clássico choque no refrigerador? Acontece assim, ocorre um dano na isolação do cabo de alimentação ou outro ponto vivo qualquer, este ponto faz contato com a carcaça do refrigerador e a energiza, você toca e leva um choque, que pode ser evitado com o DR ou com a instalação de uma tomada com aterramento, pois será o caminho mais fácil para a eletricidade chegar a terra.

      Excluir
    2. Caro amigo,
      O DR e o fio terra é um dispositivo de segurança só, o problema foi isolado o certo é verificar qual o ponto estar em contato com a massa e resolver o problema, se não a conta vai aumentar muito!!

      Reginaldo

      Excluir
  9. Ótima dica, Jefferson. Eu uso DR na minha casa e recomendo. Quanto ao padrão novo de tomadas, acho que já passei muita raiva em 2008/2009. Uma grande palhaçada. E fiz um grande estoque de tomadas 2P+T do padrão antigo.

    Além de ser um padrão até agora adotado exclusivamente pelo Brasil (já está virando tendência nacional), o vendedor de uma loja me chamou a atenção para uma outra desvantagem do padrão novo: o recesso acumula poeira depois de alguns meses, e isso irrita mulheres.

    Quem é casado vai entender que isso é um problema que foi desnecessariamente criado pela infinita sabedoria dos órgãos estatais.

    A propósito, comprei uma impressora laser da Oki em janeiro passado, e o plugue veio no padrão antigo. Felizmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. valeu pela resposta????????

      Excluir
  10. O uso dos DR já é obrigatório pela NBR 5410 faz tempo, e todos meus projetos os incluem.

    1- um problema é que o usuário acha "caro" e não instala, mesmo constando no projeto (fazer economia na segurança é prática comum por aqui...)

    2- os chuveiros elétricos atuais (por imposição da norma), tem uma corrente de fuga de 15 a 20 mA. Portanto, dá para usar o DR para "um" chuveiro, ou seja, cada chuveiro deve ter o seu DR.

    3- existe o "disjuntor DR" que faz as duas funções no mesmo equipamento, mas é muito mais caro que montar os dois em separado, o disjuntor para sobrecargas e curto e o DR para fuga de corrente.

    4- não acho que falta fiscalização, falta informação e educação. Como citei acima, mesmo constando no projeto, o usuário não instala, porque acha que não vai precisar dele.

    ResponderExcluir
  11. Alexandre1/3/10 11:33

    Ouvi dizer que chuveiro elétrico é uma gambiarra inventada e usada somente no Brasil e isso faz com que tenhamos a distribuição elétrica mais cara do mundo ...

    ResponderExcluir
  12. No apto onde resido já existe esse dispositivo e foi usado como "propaganda de venda" na época em que comprei em 2002. Foi-me dito que era Dispositivo DDR e sempre comprei chuveiros (duchas eletrônicas) que fossem compatíveis. O último que comprei, custou R$180,00 mas pelo menos esse esquenta bem melhor. Agora um detalhe, quando fui instalar um chuveiro (acredito que esse modelo só tem aqui, o Sintex) erroneamente ligando os fios de energia (acertando somente o terra, é claro) não era o disjuntor do chuveiro que caía e sim o do apto. E já fui fazer manutenção nos fios do chuveiro direto na tomada com tudo ligado e quando percebi que tinha desligado o disjuntor errado, do outro chuveiro, já era tarde, percebi que levei uma "fisgada" mas nada grave. E sabia que quando criança eu brincava de colocar pregos nos buracos das tomadas? Era pra contruir, bom, construir nem me lembro bem o quê e saí ileso, ainda mais numa construção de 1974 onde DR era sigla de placa de carro amarela.

    ResponderExcluir
  13. Em tempo, aqui em SP da pra encontrar DR por volta dos 60 a 80 reais. E uma troca de tomadas em uma casa, mais troca dos pluges dos aparelhos antigos, tenha certeza que custa mais do que 100 reais. Eu sozinho gastei 120 pra comprar 10 tomadas 2P+Terra com espelho, três filtros de linha e duas réguas de tomada padrão antigo.

    ResponderExcluir
  14. Sou engenheiro eletricista e no meu apto solicitei a construtora para instalar o DR. Fiz da seguinte maneira: coloquei um DR para o apto inteiro, tomadas, lampadas, forno elétrico, geladeira etc. Comprei um que tinha proteção contra curto-circuito maior do que a carga total prevista no projeto, ou seja, não era para proteger contra curto, apenas contra fuga de corrente. Estou há um ano sem problema algum de desarme indevido. Quanto ao chuveiro elétrico, nesse meu apto uso chuveiro aquecido a gás, porém no apto anterior tinha chuveiro elétrico daquele modelo simples da Lorenzetti. Hoje em dia eles vem escrito na embalagem que são compatíveis com DR. Na época que solicitei ao construtor para instalar o DR ele argumentou que daria problema e que não prestava... Eu insisti e disse que se a instalação elétrica estivesse correta, não daria problema algum e que o DR seria meu DEBUG do trabalho deles. Espero ter colaborado com o tópico que considero muito importante e negligenciado em nosso país. Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Eu esqueci de avisar que apesar da DX ter um DR combinado com disjuntor por meros 12 dólares, você vai ter sorte se puser as mão em um. O meu eu comprei em setembro do ano passado e ainda está em "Waiting for supplier". Eu perguntei à DX por que o item continua sinalizando "Typically ships in 4 to 7 days" se não conseguem entregar nem o que venderam em setembro, mas eles fugiram do assunto.

    ResponderExcluir
  16. Espero ajudar de alguma forma, vamos lá:
    IDR - Interruptor Diferencial Residual.
    A função do IDR é simples, proteger a VIDA do ser humano, evitando que receba uma descarga que possa causar algum dano à sua integrifade fisica.
    A NBR 5410, especifica que sejam usados em áreas lavaveis, ou seja que alguém possa receber uma descarga acidental e por estar molhado, diminuir a resistência do corpo, recebendo assim uma descarga elétrica que possa causar danos.
    Aconselho utilizar em circuitos de tomadas e chuveiro elétrico, pois realmente este equipamento salva vidas e um desligamento de alguns circuitos não é nada perto de uma vida.
    Ele não evita o choque, você pode tomar um choque e o dispositivo não desarmar, isso se dá por que a fuga não foi superior a 30ma devido a resistência do seu corpo.
    Hoje em dia as construtoras estão optando por este dispositivo como geral, para minimizar os custos, tendo em vista que seu uso é obrigatório.
    Sobre os 30Ma, é definido este padrão pois sempre há fuga de corrente num circuito, os 30Ma foram definidos para que não existam desarmes desnecessários.

    ResponderExcluir
  17. Anônimo3/6/10 18:53

    Aí pessoal. Existe DR para motores trifásicos, isto é que não utilizem o fio neutro como referência, ou para chuveiros 220V. mas somente os fios positivos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo3/7/12 23:55

      Os disjuntores DRs bifasicos sao "parecidos" fisicamente com os monofasicos, a difereça e que utiliza-se as duas fases. (detalhe: para 220v bifasico, para o 220v monofasico naoconheco). Ha os DRs trifasicos com 3 fases mais neutro. Desconheco aplicacao em motores trifasicos.

      Excluir
    2. Há dois tipos de DR disponíveis no mercado: bipolares e tetrapolares. Os bipolares são usados em circuitos monofásicos (fase+neutro) ou bifásicos (fase+fase). Já os tetrapolares são usados em instalações trifásicas a quatro fios (3 fases + neutro).

      Excluir
    3. Caros amigos, para instalar um DR em motor trifásico você usará um DR tetrapolar, onde você ligará as 3 fases e deixará o pólo neutro com a saída vazia, na entrada do pólo neutro você ligará a mesma fase conectada no borne 3 do DR. Você deve levar em consideração a função do DR para este motor, caso seja para a proteção de vidas humanas e de animais, a corrente nominal deverá ser no máximo de 30 mA (fabricantes como Siemens, ABB e Schneider Electric possuem DRs de 10 e 30 mA) caso seja para proteção contra incêndios provocados por correntes de fuga a corrente nominal do DR poderá ser maior que 30 mA os fabricantes já citados possuem DRs com 100mA, 300mA, 500mA e 1000mA. Espero ter ajudado.

      Excluir
  18. Anônimo6/6/10 13:42

    EU TOMEI CHOQUE FEIO NO BARRAMENTO,ENCOSTEI DEDO NAS DUAS FASES MESMO TENDO DR NO APARTAMENTO DE 100A DA STECK ELE NAO DESARMOU, PQ????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho duas teorias:

      1) o barramento não estava protegido por DR, ou seja, o(s) DRs estavam todos instalados após o barramento sem DR após o disjuntor geral.

      2) caso tenha DR após o disjuntor geral (protegendo toda a instalação) a corrente de choque foi gerada principalmente entre as fases sendo que a fuga para a terra foi inferior à corrente de disparo do DR.

      Excluir
    2. entao.. Pode ser pelo seguinte, a corrente saiu e entrou pelo mesmo circuito, as 2 fases faziam parte do circuito proveniente do memso DR , ou seja oDR nao desarmou pois realmente não houve diferença de corrente entre as fases, a corrente não saiu do circuito.( estava explicado ali no texto) esse caso

      Excluir
  19. Nas duas fases? Porque tinha que levar mesmo. O DR não oferece proteção contra isso.

    ResponderExcluir
  20. Sr. Anônimo, eu não sei como é a estrutura aí no seu apê, mas o barramento não vem antes do DR?

    ResponderExcluir
  21. Anônimo6/6/10 16:24

    Olá Jefferson, Existe DR para motores trifásicos, isto é que não utilizem o fio neutro como referência, ou para chuveiros 220V.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe sim colega, neste caso você usará um DR tetrapolar, usando as 3 fases, um dos pólos ficará vazio, o neutro no caso que você ligará uma das fases apenas na entrada do mesmo. Você também deve determinar a função do DR, ou seja, caso seja para a proteção de VIDA a corrente nominal do DR deve ser no máximo 30 mA a Siemens e a Schneider Electric possuem DRs de 10 e 30mA, caso seja para proteção das instalações para evitar incêndios por correntes de fuga poderá ser maior que 30 mA, a Siemens e a Schneider Electric possuem neste caso DRs de 100mA, 300mA, 500mA e 1000mA, você deve levar em conta que sua instalação poderá der algo em torno de 5 a 15 mA de fuga, que é considerada normal, devido ao fato de nenhum material ser completamente isolante e da capacitância natural que ocorre entre cabos isolados e massas aterradas.
      Espero ter ajudado. Abraço.

      Excluir
  22. Anônimo7/6/10 18:09

    Ola eu que tomei o choque (alexandre), bom pelo que entendi o dr oferece uma proteção entre a saida fase e retorno do neutro, como nesse caso eu encostei o dedo nas duas fases ele nao teve como medir esse choque pois se fosse numa tomada ele teria desarmado

    ResponderExcluir
  23. Olá,tenho uma instalacao monofasica com circuitos separados e instalei um DR da marca sica de 25A, somente no circuito das tomadas.em todo o circuito há somente um neutro compartilhado. Porque quando acendo uma lampada o dr desarma? Detalhe:todas as lampadas sao eletronicas de 20w e não tinha nenhum equipamento ligado nas tomadas.

    ResponderExcluir
  24. Jefferson, vc saberia me dizer se o funcionamento de torneiras elétricas é idêntico ao dos chuveiros. As resistências também se encontram "mergulhadas" neste tipo de dispositivo? Estou em dúvida quanto à instalação (ou não) de DR`s no caso de aquecedores para torneiras e duchas highiênicas para banheiro.

    ResponderExcluir
  25. Eu não faço a menor idéia, Rafael. Torneiras elétricas são um troço bem raro aqui no Nordeste. Eu mesmo nunca usei uma.

    ResponderExcluir
  26. Ryan,

    Os chuveiros elétricos e as torneiras vendidos há alguns anos, mesmo não sendo blindados, têm corrente de fuga inferior a 30mA, não é preciso trocar tudo.

    Além disso, É RECOMENDADO usar DR nos circuitos de chuveiros/torneiras.

    ResponderExcluir
  27. Respondendo ao anônimo que perguntou de circuitos trifásicos: o DR monitora o balanceamento das cargas que circulam nas fases/neutro.

    Numa instalação trifásica sem neutro, basta ligar as fases em um DR tetrapolar deixando um dos conectores vazio. Não é preciso haver neutro na instalação.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo1/8/10 12:03

    O princípio das torneiras é o mesmo que o chuveiro. Mas como acontece citado pelo Jefferson, pode acontecer da sua torneira específica não ter a resistência blindada.
    Pensando em um raciocínio lógico, fabricar um produto não compatível com DR é ir contra a norma, pois o DR é obrigatório. Concorda?
    Ainda mais tratando-se de um chuveiro, onde se houver alguma falha, o caminho mais fácil é você na falta de um aterramento (como é o meu apartamento).
    O pior é que as empresas continuam a fabricar este tipo de chuveiro... geralmente são estes de 15~20 reais.

    ResponderExcluir
  29. olá pessoal , valeu os comentários sobre o tema
    muito interessante ! abraços !

    ResponderExcluir
  30. Interessante tudo que esta colocado aqui, já estava pra rancar o DR que tenho em casa porque estava com suspeita dele ter algum problema. O que tem acontecido é o seguinte: tenho aquecimento solar e faço pouco uso do chuveiro elétrico. Como não liguei a resistencia do boiler de aquecimento, quando fica nublado ou chovendo muito a agua esfria, ai uso o chuveiro elétrico. Ai é que aparece o problema: quase sempre o disjuntor do padrão desarma em torno de 3 a 4 minutos de uso do chuveiro. O estranho é que o DR não desarma, nem o disjuntor do circuito do chuveiro, nem o disjuntor geral da casa, mas sim o do padrão de energia. Alguém tem uma ideia do que possa estar ocorrendo, toda a instalação é nova.

    ResponderExcluir
  31. O que esta acontecendo é que a corrente nominal do seu disjuntor do padrão é inferior à corrente do seu chuveiro...Isso pode ser facilmente verificado observado esse disjuntor, tem provavelmente no topo da alavanca do seu equipamento essa é a corrente que ele suporta.Depois voce deve calcular a corrente do seu chuveiro é só dividir a potencia pela tensão (exemplo se for 127 V e a potencia 5400W :5400/127=42 .ou sendo seu chuveiro 220 V:5400/220=24)o resultado sera a corrente do chuveiro que deve ser menor que a do disjuntor.SOLUÇÃO: se o chuveiro for 127 V substitua por um 220 V caso tenha essa tensão disponível,ou solicite uma maior demanda para a concessionária de energia.

    ResponderExcluir
  32. Aqui no meu AP o DR esta desarmando quando tomo banho com o chuveiro elétrico no frio. Alguém consegue me explicar isso?

    ResponderExcluir
  33. Gostaria de agradecer os esclarecimentos sobre DR, e sobre chuveiros compatíveis com DR, chuveiros blindados, etc.
    Quando eu estava na faculdade um professor explicou o que era DR, mas não sei se eu estava distraído porque não entendi Po#%&*! nenhuma, fiquei revoltado de não entender e com vergonha de perguntar porque em geral esses assuntos de elétrica Não são difíceis, são legais!
    Agora entendi o que é DR, muito obrigado!
    Pena que minha casa é alugada, se não eu providenciava um sistema decente...

    ResponderExcluir
  34. Meu nome é Mauri Parreira, sou Técnico em Eletrônica. Gostei dos comentários de alto nivel aqui descritos. Realmente, o uso de proteção com Interruptor Diferencial Residual,IDR,nas instaçações elétricas é indiscutivel.

    ResponderExcluir
  35. Em estudos anos atras obtive a informação de que 14mA mata uma mulher e um pouco acima de 20mA mata um homem esta se falando de 30mA.

    ResponderExcluir
  36. Prezado:

    Tenho lido sobre o uso de DRs, mas ainda não estou esclarecido sobre qual a melhor forma de usar: 1 DDR geral ou um DR para cada circuito.Seria melhor colocar o Dr apenas nos circuitos de lavanderia e banheira? A escolha é só uma questão de preço?

    Abraços

    Luciano Campos

    ResponderExcluir
  37. OLHA SOU ELETRICISTA EM PORTUGAL JA FAZEM DEZ ANOS , E AQUI TODA CONTRUÇAO NOVA PRECISA PASSAR POR UMA INSPEÇAO DA COMPANHIA ELETRICA , OS DIFERENCIAIS SAO OBRIGATORIOS , AS INSPEÇOES SAO AO PORMENOR QUALQUER FALHA E REPROVAM TUDO , USAMOS NAO SO DR MAS TAMBEM OUTROS DISPOSITIVOS DE PROTEÇAO , QUANTO AO CHUVEIRO AQUI NAO EXISTE POIS TODO AQUECIMENTO DE AGUA E FEITA A GAS .

    ResponderExcluir
  38. Anônimo5/6/11 19:29

    boa noite, estou passando para dar os parabens para a otima explicação sobre os dr, seria interessante quue o povo lesse alguma coisa sobre esse assunto pois ele salva vidas, sou eletricista aqui no sul, mas e como alguem comentou o pessoal acha que e muito caro e prefere não usar, pena né. abraços jefferson

    ResponderExcluir
  39. É pessoal, o DR certamente vai pegar por aqui, devido aos benefícios que vão ficando conhecidos.
    Um ponto interessante para constatar nas lojas de eletrodomésticos e material de construção, pelo menos aqui de São Paulo: olhando as embalagens dos chuveiros de resistência simples, ao menos aqui em Sâo Paulo, uma boa parte já é compatível com os dispositivos DR - e não apenas os de resistência blindada ou isolada.
    E parabéns pelo post, utilíssimo.

    ResponderExcluir
  40. Olá pessoal, fiz uma experiência prática encostando em uma fase que sai do DR e o neutro e também entre o terra e não funcionou, para ser mais claro quero dizer que o meu corpo foi a ponte.
    O DR era de 30ma e não funcionou, porém simulando uma fuga de energia direta para o terra com um fio condutor ele funciona normal.
    Eu diria que a sensibilidade de 30ma não é suficiente para proteger pessoas de choques elétricos, me parece propaganda enganosa.

    Um abraço
    Cleber Eletrotécnico RJ

    ResponderExcluir
  41. tambem tomei choque no DR fui fazer uma experiência e o.O, segurei fase e neutro simltaneamente e jihjihjih choque, segurei o fase e tirei o calçado estava suado e pau outro choque.
    ele ate desarma para vc não morrer, mas não impede vc de toma uma cacetada no corpo do fio, não se iludam não!!!!
    talves o com arco de disparo de 5mmA seja melhor aina não instalei um destes o de 30 mmA, fiquei em dúvida dele. disjuntor instalado Simmens 30 mmA de 40 amperes.
    Att. Anderson Floriano Duraes
    mago.real@hotmail.com

    ResponderExcluir
  42. SOU ELETROTÉCNICO E CONSIDERANDO O OBJETIVO DO QUADRO DE DISTR. ACREDITO NÃO SER INTERESSANTE A COLOCAÇÃO DO DR NO LUGAR DE DISJ. GERAL; POIS PERDERA TODO O SENTIDO DO QD. MELHOR COLOCA-LO EM SEPARADANTE, 1 PARA CADA CIRCUITO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4/7/12 00:11

      Parceiro, vc nao deve retirar o disjuntor geral e colocar o DR, e sim manter os 2, em serie. Ou mantem se o disjutor geral e coloque mais DRs. Como comentado acima pelos colegas e caro, portanto, talves instalem primeiro em locais onde se tem maior chance de acidentar-se, ex: chuveiro, cozinhas, areas externas, e SEMPRE em banheiras. E posteriormante vai comprando os demais de acordo com sua disponibilidade financeira. Outro detalhe e levar em conta o valor do DR geral que deve ser mto mais caro.
      Um problema de nossa cultura e que,(observem), qdo as pessoas optam em fazer uma reforma em casa , elas se preocupam com o que vai estar a vista para mostra,e esquece do essencial que fica escondido e ninguem ve. Acaba que nao contrata um profissional adequado e falam que a "parte" eletrica e mais cara, e esquece que influencia ate no consumo e vida util.

      Excluir
  43. Pessoal, muito bom o artigo do nosso amigo, porém há uma diferença entre os dispositivos, pois temos dois modelo: os IDR (interruptor diferencial residual) e os DDR (Disjuntos diferencial residual) onde o dispositivo DDR é também um disjuntor, diferentemente do IDR que é apenas um interruptor, é preciso utilizar um disjuntor que utilizarmos um IDR.

    ResponderExcluir
  44. Pessoal, alguém me ajuda? Nunca tinha nem ouvido falar nos tais DR e acabei de me mudar pra uma casa nova, recém construída. Aqui no quadro junto de cada interruptor bifásico de cada chuveiro existe um DR. Fiz a instalação dos chuveiros (Lorenzeti), mas assim que abro a torneira e o circuito fecha, o DR correspondente desarma. O que fazer pra resover isso?

    ResponderExcluir
  45. Além de usar chuveiros compatíveis com DR?

    ResponderExcluir
  46. Hmmmmm.... Essa é uma boa dica, mas me obrigaria a jogar fora 3 chuveiros novos recém comprados. Realmente, comprei os aparelhos sem essa preocupação, já que nunca tinha ouvido falar no tal DR.
    E se, ao invés de substitui-los, eu mudar as resistências, reduzindo a potência, será que o DR deixa de desarmar?

    ResponderExcluir
  47. Pessoal, aqui no AP. após o desarme do DR percebi que tal desarme era proveniente das tomadas da sala. Mas o interessante é que não tem nenhum aparelho ligado em qualquer das tomadas. O que pode estar ocasionando tal desarme?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um mal contato dos condutores na parte da tomada,a corrente entra e ñ sai e o dr desarma.Pode ser isso mais antes de sair abrindo a parede verifique se todas as tomadas estão funcionado corretamente

      Excluir
  48. No que se refere a segurança. Se eu pensar como a maioria das pessoas. Se for para ouvir uma notícia de acidentes, pensando na minha casa é pouca segurança. Mas quando a notícia é na casa dos outros pode ser excesso.Quanto a industria lucrar duas ou três vezes, isso vai gerar emprego, renda e girar a economia. A pergunta mais coerênte. Na sua casa tem sistema de proteção contra estes tipos de riscos? Vai procurar se proteger e proteger seus filhos? Ou vai deixar sua casa do geito que está?
    Podem até se opor a minha linha de pensamento agora, mais se acontecer um acidente doméstico ai, vai me cobrir de razão. Os países que fizeram tudo, que exigiram tudo, são modelos, mas estão em recessão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Quanto a industria lucrar duas ou três vezes, isso vai gerar emprego, renda e girar a economia. "

      Isso é de uma estupidez impresionante.

      Pixação também.
      Vandalismo em geral também.
      "Consertar" buracos nas estradas com material de quinta, também.
      A industria do cigarro também.
      Tráfico de drogas e criminalidade em geral também (empregos em segurança pública e privada).

      Quando alguém pixar o muro da sua casa, arrancar o retrovisor do seu carro, ou assaltar você, relaxe. Quando você perder um pneu ou a suspensão por causa de um buraco na rodovia que abriu pela quinta vez ou ficar preso em um engarramento pela décima porque estão tapando de novo o tal buraco, anime-se! Pense no emprego e geração de renda que essas atividades produzem.

      "...vai me cobrir de razão. "

      Com uma argumentação desse nível?

      Os próximos serão vetados. Não quero lixo no meu blog.

      Excluir
  49. Anônimo7/6/12 20:38

    Boa noite sou eletricista e estou com um problema, um chuveiro tipo ducha 6400w 220v estar desarmando o DR, será a corrente de fuga que estar passando de 30mA ?, ou tem que ser uma resistência blindada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4/7/12 00:15

      PARA CIRCUITOS COM DRS, AS RESISTENCIAS DEVEM SER BLINDADAS.

      Excluir
  50. desculpe informalos mais DR é diferente do IDR, SO PRA ESCLARECER, QUE NAO SAO AS MESMA COISA, COMO VC SITA LOGO ACIMA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4/8/13 21:09

      ola meu nome é Antonio sou eletrecista e gostaria de salientar que DR e IDR esta errado voce falar que tem DR e tem IDR pois o certo é que DR é o nome do dispositivo que se divide em DDR e IDR,
      o IDR interruptor diferencial residual,
      o DDR dijuntor diferencial resi, por tanto quando alguem falarf para voce que tem um DR instalado na residencia tem que perguntar ser ér DDR ou IDR OK,
      E só para completar li um comentario que o caro tocou nas duas eases e o DR não desarmaou nem vai desarmar se tocar entre fase e neutro pois para o DR voce é mais uma carga ligada a rede o só vais desarmar se encostar em uma fase ou até nas duas mais se voce tiver em contato com a terra.

      Excluir
    2. "quando alguem falarf para voce que tem um DR instalado na residencia tem que perguntar ser ér DDR ou IDR OK"

      Não faz a menor diferença. Do ponto de vista de um DR, DDR e IDR operam DO MESMO JEITO. Só faz diferença se alguém chegar para você dizendo: "quero comprar um DR".

      Excluir
  51. Se você não acrescentar sua fonte para essa afirmação, seu comentário será apagado em 24h.

    ResponderExcluir
  52. gostaria de obter algumas informaçoes fiz uma instalaçao com 10 disjuntores dps e IDR fiz um pequeno teste peguei no fio fase e coloquei o pe no chão o IDR nao desarmou fiz o mesmo com o neutro e nada so ouve o desparo do IDR quando coloquei um fio na saida do IDR e enconstei na barra de aterramento.

    ResponderExcluir
  53. Meu chuveiro ( blindado Corona 4 estações ) desarma a chave quando ligo - isso vem ocorrendo depois que levei para o conserto. O técnico disse que lá na loja ( depois de reclamar com ele do defeito ) o chuveiro funciona - liga sem problemas , em todas as faixas de temperatura . O que pode ser? Já troquei o chuveiro do seu circuito original ( tenho 2 banheiros com dois chuveiros iguais ) e acontece o mesmo. O outro chuveiro funciona normal .
    Gostaria de uma explicação. Muito obrigado.

    Sobre legislação de segurança e tomadas :
    Fico abismado quando vejo os adaptadores de tomadas vendidos no mercado nacional - tomada de tres pinos ( um falso ) para adaptar em tomadas que tem só dois pinos !!! Pode isso!!???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Murilo. Estou com o mesmo problema que você relatou aqui. Já vieram dois eletricistas examinar e informaram que a fiação está correta. Você poderia fazer a gentileza de me dizer como resolveu esse problema do chuveiro?
      Grata,

      Excluir
  54. afinal,qual é a diferença entre IDR e DDR????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A diferença básica e que o IDR ou interruptor diferencial protege apenas contra correntes de fuga, já o DDR, DR ou disjuntor diferencial protege contra sobre tensões e correntes de fuga. O DDR nada mais é do que um IDR acoplado a um disjuntor termomagnético.

      Excluir
  55. Sou elétricista há 14 anos e por habto da minha profissão uso constantimente as mãos para ver se tem corrente em determinado ponto. Já fiz inumeros testes com diversas marcas de DRs pondo um dedo polegar na saída do DR e o outro numa haste terra com uma resistencia de 0,8 ohms em relação ao neutro onde indica um bom aterramento, e nenhuma deles desarmou. Por tanto, comprar um achando que vai está protegido daqueles choques desagradáveis, é na minha opinião um engano. Ele deve ser eficiente para evitar um choque de proporções proximo do fatal já que uma corrente de 30ma no nosso corpo e algo que se aproxima do insuportável. Acho que devemos instalalos sim, mas as informações que os fabricantes usam para vender seu produto vai contra o que ele realmente faz. A siemens com a criânça como mostra a foto, por exemplo, faz com que muitos corram pra comprar um produto achando que se seu filhinho colocar o dedinho na fase da tomada o DR desarmará instantaneamente e ele nem vai chorar. Acredite!! vai ser uma pancada, principalmente se o chão estiver úmido. Digo isso porque quando fiz os testes eu pressionava os dedos que sentia forteS vibrações até a altura dos ombros e nenhum deles desarmaram.

    Desculpem o texto longo e um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega, acho muito estranha a sua experiência, pois já presenciei DRs desarmando com o técnico tocando na fase calçado de botinas para trabalhos em eletricidade, ainda mais considerando-se resistência de terra de 08 ohms? na minha opinião não indica apenas um bom aterramento, ,e um aterramento perfeito!

      Excluir
  56. Boa tarde, com relação a estes comentários o disjuntor DR fabricado no Brasil tem base em estudos realizados que essa corrente de fuga de até 30mA seria o que uma pessoa adulta suporta se não tiver nenhum problema de saúde é claro pois um indivíduo adulto suporta até uma corrente de 50volts em corrente alternada e 120volts em corrente contínua,pois o corpo humano possui uma resistência que varia entre 1300 a 3000 Ohms sendo assim obs: 50v/1300Ohms= 38,5mA.Esse é o tipo de calculo que eles usam,porem esses dispositivos brasileiros na realidade são para proteção de patrimônio,porem há situações em que ele pode sim estar protegendo uma vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega, você esquece que devido a natureza dos materiais isolantes( nenhum material é completamente isolante) e pela capacitância que ocorre entre os condutores de diversos circuitos agrupados, ocorre naturalmente uma fuga "natural" de corrente que vaia entre 5 e 15 mA, portanto o choque terá uma intensidade menor, e também que na maioria dos DRs comerciais (fabricantes confiáveis, Siemens, Schneider Electric, ABB, atc) o tempo de atuação é de 0.04s, ou seja, neste tempo de atuação seria preciso de 200mA² para que o choque seja prejudicial.

      Excluir
  57. Se formos analisar o corpo humano de uma pessoa saudável suporta uma corrente elétrica de aproximadamente 50volts em CA e aproximadamente 120volts em CC,pois a resistência do corpo humano gira em torno de 1300 a 3000Ohms após esses valores já seria considerado perigoso ao estremo essa situação de choque elétrico.Pois estudos comprovam esta teoria tendo em base que ex:50volts/1300Ohms= 38,5mA,esses dados são relativos a pesquisas.Se vocês observarem uma instalação de telefone você pode tocar os fios com tranquilidade pois sua corrente é de aproximadamente 49volts mas ao recebermos uma ligação ai sim há o choque elétrico pois a tensão sobe para mais de 125volts

    ResponderExcluir
  58. Acho que os DRs já estão suficientemente divulgados, claro que maior divulgação seria ótimo, porém estamos em um país onde chama-se o pedreiro para fazer a instalação elétrica, portanto, duvido muito que deem a devida importância ao DR, quanto a NBR 14136 acho bacana a padronização de tomadas, vai demorar, porém, após consolidada a mudança será benéfica, pois a segurança do DR aliada aos tipos de tomada mais seguras me agrada, não vejo as coisas isoladas como colocadas aqui, mas sim, uma complementando a outra, afinal algo que não foi dito em nenhum momento aqui ,e que os DRs devem ser testados a cada 6 meses, quem faz este teste? Quem lembra disto? Segurança nunca é demais. Quanto ao tão falado padrão americano, acho bom para eles mas não moro lá, e ao padrão europeu dizer o que? Já estive na Alemanha e voltei a pouco da França e em ambos os casos são os adaptadores fornecidos pelos hotéis que sempre me salvam, então acho que ele não é assim tão europeu e nem tão padrão, pois as tomadas da França não são iguais as da Alemanha.

    ResponderExcluir
  59. "Segundo o artigo na Wikipedia, nos EUA, dispositivos DR que tem a finalidade de proteger pessoas tem uma corrente de gatilho de meros 5mA. Aqui no Brasil só se encontra esse tipo de dispositivo no comércio com corrente de gatilho de 30mA, o que nos EUA só se aceita para proteger equipamentos e instalações."
    Colegas estive lendo o artigo da Wikipedia citado e apesar de meu inglês ruim segue meu entendimento: Os DRs fabricados no exterior estão na faixa de 5 a 30 mA, não significa que que sejam usados apenas de 5 mA (RCDs are designed to disconnect the circuit if there is a leakage current. By detecting small leakage currents (typically 5–30 milliamperes) and disconnecting quickly enough (<30 ms), they may prevent electrocution.)
    Nos EUA não são os DRs que tem a corrente nominal de 5 mA, mas um dispositivo denominado GFCI, que trata-se, pelo que vi esta exposto, de uma tomada integrada a um DR, mais utilizado em construções residênciais devido ao fato de serem mais acessíveis economicamente, ou seja, este equipamento não é utilizado para proteção de circuitos inteiros, mas apenas ao equipamento ligado ao GFCI- como consta na descrição da imagem: A Leviton GFCI "DecoraTM" receptacle in a North American kitchen. Local electrical code requires tamper-resistant receptacles in homes, and requires a GFCI for receptacles within 1 metre of a sink. The T-slot indicates this device is rated 20 amps and can take either a NEMA 5-15 or a NEMA 5-20 plug, though the latter type is rare on household appliances.
    Para concluir acho que todos nós brasileiros devemos parar com este complexo de inferioridade achando que apenas o que é feito ou criado no exterior que é bom, nós temos tecnologia sim, também temos capacidade, o que falta para nós apenas é o que sobra para os americanos e para os europeus, que é o sentimento de dane-se o resto do mundo, eu vivo no Brasil e se os americanos e europeus quiserem bater com a cabeça na parede, que batam, não farei o mesmo por que eles só por que eles o fazem.
    Posso não ter me expressado corretamente, não sou bom escritor, mas tentem levar meu comentário para o lado bom. Obrigado.

    ResponderExcluir
  60. João,

    Acho que você não reparou que, no caso, os americanos não estão batendo com a cabeça na parede. Eles estão colocando dispositivos diretamente nas tomadas que desarmam com uma corrente de fuga de apenas 5mA enquanto nós que "temos teconologia e capacidade" só dispomos de um dispositivo caríssimo de 30mA que é explicitamente usado pelos americanos apenas para proteger máquinas. Se você não acha isso no mínimo intrigante, nada posso fazer.

    Cuidado com o ufanismo. O que todo governo autoritário mais deseja é uma população que ignore o que acontece em outros países.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jefferson,
      os americanos usam este dispositivo por ser mais barato, não pela eficiência, e como descrito na imagem exigido para um limite de 1 metro próximo a pias.(Local electrical code requires tamper-resistant receptacles in homes, and requires a GFCI for receptacles within 1 metre of a sink.)ou seja, pode ser que não seja usado em todos os comodos da casa, outro detalhe, protegendo apenas 1 aparelho você pode ter um DR de 5 mA num circuito inteiro isso já não é possível, também em caso de manutenção um DR protegendo todo o circuito você protege a pessoa que realiza o trabalho o que não ocorre caso você tenha proteção somente no final do circuito , quanto aos circuitos serem protegidos por DRs de 30 mA, qual o problema? Quer dizer que a Alemanha esta errada ( os DRs Siemens vendidos aqui são os mesmos vendidos na Alemanha, até pouco tempo eram importados de lá) a frança esta errada também? os DRs da Schneider Electric vendidos lá são os mesmos que a Schneider Electric vende no resto do mundo e inclusive aqui no Brasil, o que a norma estabelece é sim eficiente, porém, para que ela funcione a norma deve ser atendida integralmente, também acho que R$160,00 não é assim tão caro para proteger uma residência(http://www.leroymerlin.com.br/detalhe-do-produto/-/produto/86989273)levando- se em conta o valor total de uma instalação.
      Enfim, isto é um caso mais de opinião do que realmente eficiência, afinal os 2 funcionam e muito bem.

      Outro detalhe, isto não é um caso de autoritarismo, regras devem existir, a norma estabelece o DR mas ao mesmo tempo não proibe algo semelhante ao GFCI, ou seja, podemos usa- lo, porém creio que seja muito difícil encontra-lo no Brasil, podemos também fazer esta sugestão ao comite de eletricidade da ABNT, afinal, não é uma técnica ruim, mas duvido muito que este tipo de dispositivo no Brasil saia mais em conta que o DR, devemos ter em mente as questões econômicas dos 2 paises neste caso.
      Quanto ao ufanismo, não é o caso, não estou dizendo que o Brasil é o melhor dos melhores, apenas não tenho este complexo de inferioridade brasileira, também em momento nenhum falei que as normas brasileiras são perfeitas, é por este motivo que elas são revisadas periódicamente, e sofrem correções.

      Excluir
    2. João,

      1)Apenas ufanistas vêem (e acusam) "complexo de inferioridade" em um texto que simplesmente faz comparações com o que ocorre em outro país. Não-ufanistas se restringem aos fatos. Se não quer que eu veja ufanismo em suas declarações, deixe de usar o argumento "complexo de inferioridade" (que considero ofensivo, diga-se de passagem) amplamente usado pelos ufanistas.

      2)O artigo também diz "GFCI outlets are required by code in most places where an easy path to ground exists, such as wet areas, rooms with uncovered concrete floors and outdoor areas."

      Note "exigido por código(lei)", "na maioria do lugares onde um caminho fácil para a terra existe" e "ambientes de concreto descoberto". É bom lembrar que o uso de habitações completamente de madeira (naturalmente isolante) ou com pisos e divisórias de madeira é comum nos EUA, ao contrário do que existe aqui, onde a habitação inteira, do miserável que vive em palafita ao milionário, oferece um retorno para terra.

      Se na Alemanha e na França eles se contentam com DRs de 30mA,esse é apenas mais um fato a se considerar. Não serve como argumento para justificar o modelo adotado no Brasil, justamente porque existem outros países com regulação mais exigente (e segura).

      Excluir

    3. Jefferson,
      1) Não sou ufanista, apenas não condeno coisas com informações limitadas, e caso o tenha ofendido peço desculpas, esta nunca foi minha intenção em nenhum momento.
      2) Você esta certo neste caso.
      3) No Alemanha, França, Brasil e em muitos outros lugares do mundo, as pessoas não se contentam com 30mA, isto não foi estabelecido por que alguém achou bom, quando se cria uma norma além de comprovação técnica, deve-se levar em consideração as condições sócio economicas de cada local, no Brasil as norma estabelecem o MÁXIMO de 30 mA (algo que você não esta levando em consideração em seu comentário) portanto você pode usar os DRs de 10 mA em sua instalação, neste caso além de prteger contra choques elétricos, estará protegendo o patrimônio contra incêndios causados por correntes de fuga em qualquer ponto da instalação.
      Bom, veja só, vamos levar em conta uma pequena residência com 10 tomadas, posso protégé-lá com um DR ao custo de R$ 160,00 (http://www.leroymerlin.com.br/detalhe-do-produto/-/produto/86989273)
      Ou posso faze- lo com o método da tomada com GFCI (http://www.readywholesaleelectric.com/luca15gfregc.html) 10 x $ 27,95 = $279,95 ( ou seja R$ 571, 09, assumindo a cotação do dolar hoje, e considerando que o dispositivo no Brasil tenha o mesmo valos que nos EUA, o que eu sinceramente dúvido), R$ 571,09 numa pequena residência, 10 tomadas, é muito significativo ( leve em consideração que este é um cálculo simples).
      Finalizando. Apenas quero dizer que cada local define suas regras, o sistema de tomadas com GFCI funciona, é o mais em conta para o americano, mas as normas deles também preveem o uso de DRs como os nossos. Obviamente em casa de madeira é possíve usar 5 mA, mas isto é quase impossível em locais em alvenaria, e principalmente em nosso caso particular, afinal o brasileiro não costuma seguir normas.
      E o nosso sistema também funciona, tem suas vantagens , desvantagens, como qualquer sistema, ele também é muito bom, e também atende nossas condições socio econômicas, apesar de mesmo assim, muitos construtores e em muitos casos os donos do empreendimento não levarem isto em consideração.

      Excluir
  61. Ola pessoal sou eletricista e instalei um dr geral mas apos ele tem 3 chuveiros e duas torneiras eletricas instalados e quando são ligados 2 chuveiros o dr desarma eu li todos os post acima e acho que neste caso todos estes equipamentos devem ser blindados mas se alguem puder me confirmar se estou certo agradeço .

    ResponderExcluir
  62. Meu dr é unico para a casa toda , toda vez que a energia acaba devido as chuvas , quando a energia volta ele desarma . O que estaria causando isto?!existe algum dr que rearma automaticamente? Grato

    ResponderExcluir
  63. Meu dr é unico para a casa toda , toda vez que a energia acaba devido as chuvas , quando a energia volta ele desarma . O que estaria causando isto?!existe algum dr que rearma automaticamente? Grato

    ResponderExcluir
  64. comigo está acontecendo uma situação inusitada também. Comprei um chuveiro Maxxi Ducha da Lorenzetti. quando ligo ele, funciona normal. fica agua abundante e quente. ótimo banho, mas quando desligo o chuveiro, derruba o DR, não o disjuntor. ai se eu ligar o DR e tentar ligar o chuveiro novamente, ele derruba novamente, MAS, se eu mexer naquela chavinha do chuveiro que controla a temperatura, tipo mudar de posição e voltar pra mesma que estava e ai tentar ligar. ele liga normalmente novamente. só que desarma novamente o DR quando desliga o chuveiro
    então eu tenho até uma rotina.
    Ligo o chuveiro..uso normalmente.
    Desligo o chuveiro. o DR Desarma
    ai mudo no chuveiro a chavinha da posicão inverno para desligado e volto para inverno.
    e rearmo o DR.
    pronto.. chuveiro pronto pra uso novamente.

    ResponderExcluir
  65. Oi pessoal, comprei um idr para segurança de uma piscina, ou seja, a bomba de 2 cv 200v e mini-refletores que ficam submersos na piscina (tbm 220v para um transformador p/ 12 v). Assim sendo, no quadro de luz (pc) instalei um disjuntor bipolar e logo após o idr tetrapolar passando as duas fases e o neutro. Resolvi fazer a seguinte experiencia: encostei uma fase na parede ou no chão, pois assim pelo menos teoricamente o idr deveria desarmar, mas nao desarmou. Jefferson,o q vc acha? o idr deveria desarmar? vc saberia algum teste simples e experimental que eu poderia fazer em casa para simular uma fuga e testar o idr? O q eu comprei é um "made in china" da Alumbra. Grato pela atencao.

    ResponderExcluir
  66. Bom, cada macaco no seu galho, to querendo instalar um dr em casa, pesquisando melhor cada opiniao que se encontra na internet, explicaçoes de como o dr funciona,e bem interessante, eu apredi na escola tecnica que um dr é apenas um interruptor de corrente de fuga e não um dispositivio de salvar vidas, salvo em caso extremos, salva nossa conta de luz no final do mes, caso se tiver algum problena com os aparelhos domesticos, eu particulamente quero um dispositivo desses em casa, para evitar esse tipo de probelma, mas para que eu possas usar um desse, preciso deixar minha intalação eletrica no padrao (com aterramento) para que ele funcione, se a minha geladeira estiver dando choque e ela está devidamente ligado com aterramento, nao vou levar choque algum, mas vou pagar acressimo na conta de luz, bom no caso do dr ligado, dependendo da intesidade da corrente de fuga o dr pode desarmar imediatamente, ou demorar um pouco para agir,se voce ligar um resistor de 4khom nuna tomada de 127v, ele vai cosumir uma corrente de 0,03175 amperes, seu medidor não vai nem perceber o consumo,se voce colocar esse mesmo resistor ligado fase e terra o dr que a tolerança é de 0.030 amperes(30mA)vai perceber esse consumo e vai desarmar.
    Por tanta gente que quer encontrar chifre em cabeça de cavalo, fica aqui um recado: vou instalar um desses em casa sem constrangimento, adicionar um protetor contra surtos devidamente aterrado, fazer minha instalaçao eletrica com aterramento nas tomadas, as mesmas instaladas a um metro e meio de altura do chao, lembrando que minha casa é bem modesta.Um dr funciona direito quando devidamente instalado por eletricista que entende do assunto e orienta o usuario quanto a dispositivos usados na casa.
    Obs: por fata de intalação desse tipo, é que muitas familias ficam dasabrigada por causa de incedios nas favelas e pouca perderam vidas
    Um abrço a todos

    ResponderExcluir
  67. Altamiro A. Costa27/10/13 09:40

    Bom dia a todos, sou Técnico em Eletrotécnica formado pelo SENAI e sempre aprendi que o DR ou IDR com ajuste 30 mA protegia pessoas contra choques elétricos e equipamentos elétricos contra correntes e fuga ou contra incêndios, mas na prática isso não acontece em 100% dos casos, então gostaria de questionar sobre o uso do DR ou IDR com ajuste 30 mA para proteção de pessoas contra choques elétricos, pois conf. exigido pela NBR 5410, cada circuito terminal deve ser ligado a um dispositivo de proteção que pode ser:
    um disjuntor termomagnético (DTM)
    um interruptor diferencial residual (IDR)
    um interruptor diferencial residual (IDR) + um disjuntor termomagnético (DTM).
    Só que na prática isso não acontece, pois agora sou instrutor em um curso de Instalações Elétricas na FAEL (Polo Porangatu - GO) e ontem mesmo fui demostrar para uma turma de 25 alunos a eficácia do IDR de 30 mA contra choques elétricos, usando um IDR Siemens e ele não funcionou para esse fim, tomei um baita choque e o IDR não desarmou, então fiz a substituição do IDR Siemens por outro IDR da Schneider e aconteceu o mesmo, para fuga de corrente, os dois funcionaram perfeitamente, mas pessoas contra choque elétrico, tenho minhas dúvidas, pois se o choque que tomei fosse em uma criança menor que 10 anos, que pelo menor descuido dos pais enfia algum objeto na tomada, não sei quais seriam as consequências da intensidade do choque elétrico que tomei, se fosse sofrido por ela.
    Diante dessa realidade, sugiro façamos uma campanha para que a NBR 5410 passe a exigir que os IDR's passem a ser fabricados com 5 mA para corrente de fuga, sem olhar o custo que isso somaria ao produto, a exemplo do que a norma dos EUA exige e não se preocupa com padrão de tomadas e plugues, mas sim com a vida humana, pois tenho certeza, que com uma com uma corrente de fuga de 5 mA, estaremos realmente protegidos as pessoas contra choques elétricos e não apenas protegendo os equipamentos contra correntes de fuga ou contra incêndios as instalações elétricas ou próprio imóvel, que são insignificantes diante da vida humana.

    Tec. Altamiro A. Costa
    alta1313@gmail.com

    ResponderExcluir
  68. Altamiro A. Costa27/10/13 09:41

    Bom dia a todos, sou Técnico em Eletrotécnica formado pelo SENAI e sempre aprendi que o DR ou IDR com ajuste 30 mA protegia pessoas contra choques elétricos e equipamentos elétricos contra correntes e fuga ou contra incêndios, mas na prática isso não acontece em 100% dos casos, então gostaria de questionar sobre o uso do DR ou IDR com ajuste 30 mA para proteção de pessoas contra choques elétricos, pois conf. exigido pela NBR 5410, cada circuito terminal deve ser ligado a um dispositivo de proteção que pode ser:
    um disjuntor termomagnético (DTM)
    um interruptor diferencial residual (IDR)
    um interruptor diferencial residual (IDR) + um disjuntor termomagnético (DTM).
    Só que na prática isso não acontece, pois agora sou instrutor em um curso de Instalações Elétricas na FAEL (Polo Porangatu - GO) e ontem mesmo fui demostrar para uma turma de 25 alunos a eficácia do IDR de 30 mA contra choques elétricos, usando um IDR Siemens e ele não funcionou para esse fim, tomei um baita choque e o IDR não desarmou, então fiz a substituição do IDR Siemens por outro IDR da Schneider e aconteceu o mesmo, para fuga de corrente, os dois funcionaram perfeitamente, mas pessoas contra choque elétrico, tenho minhas dúvidas, pois se o choque que tomei fosse em uma criança menor que 10 anos, que pelo menor descuido dos pais enfia algum objeto na tomada, não sei quais seriam as consequências da intensidade do choque elétrico que tomei, se fosse sofrido por ela.
    Diante dessa realidade, sugiro façamos uma campanha para que a NBR 5410 passe a exigir que os IDR's passem a ser fabricados com 5 mA para corrente de fuga, sem olhar o custo que isso somaria ao produto, a exemplo do que a norma dos EUA exige e não se preocupa com padrão de tomadas e plugues, mas sim com a vida humana, pois tenho certeza, que com uma com uma corrente de fuga de 5 mA, estaremos realmente protegidos as pessoas contra choques elétricos e não apenas protegendo os equipamentos contra correntes de fuga ou contra incêndios as instalações elétricas ou próprio imóvel, que são insignificantes diante da vida humana.

    Tec. Altamiro A. Costa
    alta1313@gmail.com

    ResponderExcluir
  69. Pelo que entendi o DR não funciona em circuitos bifásicos 220 V , já que não possui neutro, seria isso mesmo?

    ResponderExcluir
  70. O DR pode ser usado nos circuitos 220 v bifásicos? Será que eu teria que ligar as duas fases no Dr e fazer um aterramento separado para ligar na entrada do DR?

    ResponderExcluir
  71. Olá, tenho dois chuveiros com resistência blindada e um DR instalado em série com o Disjuntor geral. Cada chuveiro tem seu disjuntor especifico no quadro da instalação. Recentemente, meus chuveiros estão desarmando o DR após o banho (os respectivos disjuntores individuais permanecem inalterados), quando desligo os chuveiros, desativando a alimentação do apartamento inteiro. Nada na instalação foi modificada recentemente. O que pode estar causando este problema?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou passando pelo mesmo problema e, mesmo pesquisando muito e questionando alguns profissionais, não encontrei uma resposta. Caso alguém tenha ideia do que está ocorrendo e qual a solução ficaria muito grato.

      Excluir

Siga as regras do blog ou seu comentário será ignorado.