-->

sábado, 27 de fevereiro de 2010

A conversa mole dos defensores da NBR14136. 1a parte.

Veja esta imagem do site da Siemens, que exalta uma das supostas vantagens da NBR14136 (o padrão brasileiro de tomadas):



Esta imagem está sendo usada para ilustrar como o novo padrão acaba com uma confusão de sete modelos de tomada diferentes que existiam até então. Eu enxergo três mentiras nessa imagem:

Primeira mentira - As tomadas de 1 a 4 se resumem a apenas UMA (leia todo o texto).

Imagem Siemens - Correção 1

Segunda mentira - WTF? Eu nunca vi a tomada 5 em uso aqui no Recife. E a 7 se parece muito com um plug alemão que até hoje eu só vi na sala de aula da Escola Técnica Federal e em algumas máquinas alemãs da fábrica onde trabalhei. De qualquer forma, nunca vi nenhuma das duas em residências. Isso é certo.


Imagem Siemens - Correção 2


Terceira mentira - O novo padrão tem DUAS tomadas (20A ou 10A) e não apenas UMA como a imagem acima falsamente insinua. É verdade que o plug de 10A encaixa na tomada de 20A também, mas ninguém em seu juízo perfeito vai colocar tomadas de 20A na casa toda (são mais caras). Então essa tomada continua sendo tão "especializada" quanto a anterior.

Imagem Siemens - Correção 3


Note que eu estou propositalmente ignorando o fato de que o novo padrão tem uma terceira tomada, sem pino terra (mais barata), porque aí teríamos que contar com a tomada antiga sem o pino. Ficam elas por elas.


Sabe o que a imagem original da Siemens realmente representa? O número de modelos de plugs e tomadas que os fabricantes puderam parar de fabricar e estocar graças ao novo padrão!

A propósito, a mesma mentira está estampada no site do INMETRO, de uma forma ainda mais absurda (grotesca, até):


Notem como o mesmo tipo de plug é representado mais de uma vez em diferentes estampagens, só para fazer número. Se o INMETRO queria padronizar isso, poderia tê-lo feito sem criar novas tomadas!

Enxergando além do engodo do INMETRO, eu vejo isto:


Conclusão: Considerando apenas a conversa fiada de reduzir o número de tomadas diferentes, restringir a fabricação às duas tomadas antigas mostradas na figura "correção 3" já bastaria, sem a criação de novas tomadas. Temos ainda o quesito segurança, mas isso é tema para o próximo post.

54 comentários:

  1. 5 NUNCA VI...
    6 = Padrão Australiano
    7 = Padrão Alemão
    Em suma... poderiamos muito bem adotar o 4 como padrão, tomada essa que engloba os padrões americano (1), europeu (2) e os produtos que todos nós meros mortais temos em casa. Agora, se você compra uma casa nova, você faz o que com seus produtos velhos? Compra novos? Claro que não, você compra adaptadores chineses de baixa qualidade para poder usar eles na "novo padrão de tomada mega seguro".

    ResponderExcluir
  2. Sim padrão DealExtreme de qualidade :D

    E viva os "China"

    - Aqui em casa e por onde passo, devido a enorme quantidade de computadores, e etc etc etc que usam um padrão universal ao meu ponto de vista faço questão de trocar tudo por ele, e que o padrão Tupinikim que sacanagem que se exploda.

    ResponderExcluir
  3. O pior de tudo é que, aqui na Gersonlândia, não dá prá descartar a possibilidade do objetivo principal dessa troca não passar de um trem-da-alegria entre INMETRO e fabricantes prá dar uma "aquecida" no mercado.

    Alguém coloca a mão no fogo?

    ps.: Mais uma vez, um super post. Parabéns, Jeff.

    ResponderExcluir
  4. No meu entender, diversos fatores influenciaram a NBR14136, sendo que o menos importante deles foi a segurança.

    1)Lembram que o atual governo federal "aparelhou" a administração pública com 19 mil "companheiros" logo depois que nosso atual presidente ganhou as eleições? Lembram daquela fundação que entrou em greve porque os funcionários não aceitaram o palerma que o partido colocou na direção? Lembram da palhaçada de R$10 milhões do "astronauta brasileiro"? Nosso padrão de TV digital? O Inmetro é um órgão do governo federal. Tudo está interligado.

    2)Nosso padrão antigo era "americanizado demais". Isso mexe com os nervos de muita gente. Não poderia sobrar nenhum vestígio dos USA no nosso padrão.

    3)Claro, lobby da indústria. Tomadas, principalmente as feitas dentro das antigas (e sérias) normas do Inmetro, duram muuuuito. Por isso é preciso fazer o povo "renovar";

    4)Lembrem-se de que cada nova tomada comprada bota mais dinheiro nos cofres públicos. No mínimo, 17% (o ICMS).

    ResponderExcluir
  5. De fato alguém escutou algum bom motivo para essa mudança? Eu basicamente só escutei a palavra segurança... e sinceramente não vejo essa segurança tão superior a ponto de dar esse prejuizo no bolso de todo mundo. Se ao menos tivessem usado a nojenta desculpa de "proteger a industria nacional" eu poderia dizer que acho isso (com o perdão da palavra) uma puta babaquisse, esse negócio de desenvolver um padrão único devia ser abolido da mentalidade moderna, o que rege hoje é a globalização. Tantas coisas seguindo para um caminho unificado, como o euro e etc. e a gente caminhando no caminho inverso e vez de tornar nossos protudos um padrão mais "global".

    ResponderExcluir
  6. Jefferson e demais, a conversa do inmetro, tanto quando dos que defendem a NBR14136 é tão furada quanto uma peneira.

    A norma NBR5410 que existe desde 1990 já exige o uso do Disjuntor Diferencial Residual em toda instalação elétrica, justamente para evitar o motivo numero um que alegam: Choque elétrico ao inserir o plugue na tomada.

    Agora pergunto... quantos eletricistas, logistas e engenheiros elétricos sabiam da existência da obrigatoriedade do interruptor DDR?

    Enquanto isso acharam mais "fácil" obrigar todo munto a trocar de tomadas, simplesmente tirando de circulação o padrão de tomadas universal.

    E com isso, tenha certeza que tem muita gente enchendo as burras de dinheiro, e quer apostar quanto que tem politico botando essa grana no bolso???

    ResponderExcluir
  7. O padrão foi imposto e o mercado não está atendendo a necessidade do cidadão de converter os padrões. Você tem dificuldade em intercambiar diferentes padrões. Isso induz o usuário a ter que alterar sua instalação elétrica.

    Em resposta ao zow, usar o padrão 4 seria manter boa parte das instalações atuais, e isso não é interessante para a industria, que quer vender mais.

    Jeferson, você pode estar certo em relação a situação política do caso, mas lembro que isso não é exclusividade de nenhum governo, seja atual seja anterior. TODOS estão sempre arrumando esse tipo de situação que favorece interesses (e não são os nossos).

    Não conheço os padrões, mas a tomada tipo 6 eu tenho visto usada em instalações 220V e acho seria interessante essa separação 110V x 220V, mas não sou indicado para falar mais desse assunto.

    E viva o Brasil.

    Lauro Faria
    www.bdibbs.com.br

    ResponderExcluir
  8. Lauro Faria,

    A tomada 6 é (era) o padrão de tomada para ar condicionado que, até onde sei, valia no país inteiro (110 ou 220V), porque o diferencial dela é a corrente que suporta. Se você está se referindo à tomada 7, aqui em PE a tensão é 220V e essa tomada nunca foi usada de modo geral.

    Sim, TODOS os governos brasileiros estão/estiveram lotados de pilantras. É um problema cultural. Mas não é por isso que vou parar de reclamar deste. Falar de quem já não governa é um exercício tolo que só convém ao governo do presente. O atual governo (que já está aí há quase oito anos)é que está em condições de consertar nossos problemas, mas insiste em criar outros.

    ResponderExcluir
  9. A NBR 5410 (que é de 1990 como foi dito pelo Luciano) também obriga a instalação de "terra" em todas as tomadas de uma instalação elétrica. O motivo principal disso é a segurança (não vou explicar o motivo aqui pois não é esse o foco de discussão). Mas isso nunca foi cobrado. Não conheço nenhuma casa ou apartamento com terra em todas as tomadas.

    Só existia uma maneira de resolver esse problema: proibir a venda de tomadas que não tenham terra (e mesmo assim não seria garantido que o cabo de terra seria instalado).
    Para fazer essa proibição, era necessário definir qual o padrão de tomadas que deveriam ser fabricados. Foi quando começou-se a discutir qual deveria ser o padrão brasileiro.

    Do ponto de vista de segurança, o melhor existente hoje é o europeu (que tem algumas variações como explico mais abaixo). Mas é um padrão bem antigo e resolveram fazer uma variação dele (não sei por qual motivo).


    A tomada 7 é a tomada mais usada pela europa, mas não é usado em toda europa. Na Inglaterra eles usam um padrão que só é usado lá (eles gostam de ser diferentes).
    Acho que na Alemanha (não tenho certeza), é usada uma variação dessa tomada. Ao invés do terra ser na lateral de da tomada, é em um pino quase no meio da tomada (é um pino mesmo, e não um burraco). Lembro de ter visto algumas outras variações por lá, mas não lembro como eram nem aonde eram.


    Quanto ao padrão de TV digital, eu aprovo totalmente o padrão adotado. Ele é uma variação melhorada do padrão japonês (que era o melhor existente até então). E ter um padrão próprio é muito bom para a industria nacional, pois evita a concorrência de empresas asiáticas de baixo custo (apesar que o DealExtreme já tá vendendo um receptor digital 1-seg do padrão de TV brasileira).

    ResponderExcluir
  10. Ariedam,

    "A NBR 5410 (que é de 1990 como foi dito pelo Luciano) "

    Na verdade, é de novembro de 1980. Foi revisada algumas vezes nos últimos 30 anos e é difíci saber quais as diferenças entre as revisões, porque a norma não está à disposição do público.

    "ter um padrão próprio é muito bom para a industria nacional"

    No Brasil, tudo o que é bom para a indústria nacional não é exatamente bom para o povo. Isso pode até funcionar para povos como os alemães e japoneses, mas não no Brasil.

    ResponderExcluir
  11. ariedam, eu descordo, eu sou contra essas medidas protecionistas furadas que no fundo não protegem nada. Isso é típico daqui... tentar consertar o problema no final e não na raiz dele como é o caso da nossa educação com as cotas. A industria tem é que se fortalecer e ter nível para concorrer com a asia e não ficar inventando artimanhas que garantem uma vantagem por um curto espaço de tempo. Tempo até que os chineses forneçam uma solução compatível e mais barata NOVAMENTE.

    ResponderExcluir
  12. Zow falou muito bem. Um país que pensa grande se prepara para invadir o mercado dos outros e perde menos tempo cercando o seu. Eu sei que protecionismo econômico existe em diversos outros países, mas nos desenvolvidos o protecionismo parece funcionar para o bem do povo. Aqui só alimenta nossa cultura de "coitadinhos".

    Eu tenho péssimas lembranças da Reserva de Mercado de Informática, por isso é meio difícil me convencer de que protecionismo no Brasil faz bem.

    ResponderExcluir
  13. Eu não sei se vocês podem me confirmar. Eu li há um tempo atrás (não lembro a fonte e de fato não era 100% de minha confiança) que o imposto em cima de placas de video ia subir E MUITO aqui no Brasil numa tentativa de influenciar a abertura de fabricas desses dispositivos aqui. Na matéria o cidadão dizia que o "delay" de uma linha de montagem aqui no Brasil para acompanhar as constantes atualizações do mundo da tecnologia era de 18 meses enquanto na China era de 6 meses.

    Mesmo não sendo verdade, o que quero mostrar é o absurdo que são essas medidas protecionistas... elas não protegem a industria e ainda prejudicam a gente que é "apenas cidadão", imagina você te que comprar um Pentium III fornecido pela industria nacional porque o imposto em cima de um Core 2 Duo Chines é muito alto. Não é o caminho... é querer fazer do Brasil uma "Cuba" do século XXI.

    Chega a ser um crime querer forçar nós (povo) a abrir mão de comprar produtos de melhor tecnologia em prol de uma industria fraca.

    ResponderExcluir
  14. Zow,

    Concordo em algum pontos que você levantou. Mas é necessário um certo protecionista, senão várias industrias brasileiras irão fechar. Mas é necessário pensar nas consequencias. Por exemplo: o alto imposto sobre softwares faz a maioria dos brasileiros usar programas piratas. Se o Windows aqui custasse o mesmo que nos EUA, várias pessoas deixariam de usar o pirata...

    Mas no caso de nos forçar a comprar produtos de pior qualidade em prol da industria nacional, isso não acontece nem no caso das tomadas, nem na caso da TV digital. Os produtos vendidos aqui são de excelente qualidade, exceto os adaptadores (que são na grande maioria importados) pois não existe norma nem lei para eles.

    ResponderExcluir
  15. "Sim, TODOS os governos brasileiros estão/estiveram lotados de pilantras. É um problema cultural. Mas não é por isso que vou parar de reclamar deste."

    Assino em baixo. Também não concordo com esse conformismo confortável.

    Mesmo porque, ao dizer "todo político é corrupto" o povo minimiza a gravidade da corrupção. É igual aquele slogan não oficial do digníssimo Paulo Maluf: "Rouba, mas faz!". Ridículo.

    ResponderExcluir
  16. Ana, me referi de baixa qualidade sobre as placas de video. E sim, tem que ter algum protecionismo, por isso até coloquei apenas cidadão entre aspas, pq de fato a industria gera emprego para gente, mas sou contra esse tipo de conduta do governo de atacar o problema pelo topo e não pela raiz.

    ResponderExcluir
  17. Realmente, você deixou muito claro na correção 3 que estamos trocando 2 por 1 par. O argumento do número é totalmente inócuo.

    Por outro lado, não vejo como o plug de 3 pinos, na parte de baixo, à direita, da figura do InMetro, estar repetido, como você enxergou.

    ResponderExcluir
  18. Sony,

    Eu não o desconsiderei por estar repetido. Desconsiderei por cair no mesmo problema da imagem da Siemens: "onde danado se usa isso no Brasil?"

    O plug, como descobri agora há pouco, é italiano.

    ResponderExcluir
  19. Na foto do site do inmetro "como é" no lado direito a terceira peça de baixo para cima não é igual aos outros. Note que na lateral há uma parte metálica. Eu já vi em computadores trazidos do Chile algo muito parecido, acho que idêntico. Os pinos são mais grossos e a tal haste é o terra que entra em contato com a fêmea quando o plugue é encaixado.

    ResponderExcluir
  20. cerbero,

    Esse plug é o que encaixa na tomada "7" da imagem da Siemens. Veja minha resposta ao Sony.

    ResponderExcluir
  21. Só acho que era necessario algum padrão com a tomada afundada, porque no padrão americano, por exemplo, as tomadas ficam frouxas, uma fonte mais pesada fica hiper-frouxa, com essas tomadas afundadas (Padrao brasileiro, padrao suiço, padrao alemão) isso não ocorre.

    Pra mim errado está o padrão americano, misturar pino chato com redondo é gambiarra, não padrão.

    E tem a normatização internacional que recomenda tomadas desse tipo, não vai muitos anos outros paises mudam também.

    Eu que fui logo e troquei as tomadas, agora tenho que ficar reclamando com os vendedores que ainda vendem tudo com pinos antigos, ar-condicionado aqui veio com o plug 6, carregador da camera veio com o plug 1 (Que não cabe nas tomadas normais, é o pino chato de baixo é maior), cortador de grama veio com um redondo parecido com o alemão, impressora veio com o plug americano, e por aí vai, falando nos plugs que mal cabem nas tomadas tradicionais (Não da NBR5410).

    Mas gostei tanto desses pinos e tomadas que pra 12V vou usar deles também, pra aparelhos sem polaridade usar plug de 2 pinos, e pra polaridade exigida usar de 3 pinos, coisa que só seria possivel se houvessem plug do padrão americano a venda (Nunca ví).

    Minha reclamação é a demora em aderir ao padrão, se não tem jeito, não tem volta, o fabricante tem logo que mudar, não esperar o último dia, ou ainda continuar mandando cabo de força com a ridícula gambiarra americana em fontes e equipamentos de informatica (E cade filtro de linha e nobreaks com as novas tomadas? Isso atrasa o mundo).

    ResponderExcluir
  22. Rubem,

    "com essas tomadas afundadas (Padrao brasileiro, padrao suiço, padrao alemão) isso não ocorre."

    Tenho certeza de que dava para criar uma solução mecânica para isso, sem afundamento das tomadas.

    "Pra mim errado está o padrão americano, misturar pino chato com redondo é gambiarra, não padrão."

    Não entendi. O padrão americano só tem pinos chatos. E discordo de que a mistura não possa ser ratificada em um padrão.

    "E tem a normatização internacional que recomenda tomadas desse tipo, não vai muitos anos outros paises mudam também."

    O padrão "internacional" é de 1986. Você pode chutar um número para o seu "não vai muitos anos"?

    "Mas gostei tanto desses pinos e tomadas que pra 12V vou usar deles também, "

    Por mim, tudo bem. Fico feliz por você poder comprar o que achar melhor para você. O que me incomoda profundamente é que eu não tenho mais o direito de comprar as tomadas antigas.

    ResponderExcluir
  23. Intruder A628/2/10 09:53

    Eu também fiquei muito aborrecido por esta mudança no padrão ( já venho me queixando dele bem antes de entrar em vigor, pois era lógico que da forma que está sendo feito iria dar merd@ ) mas o realmente ruim foi esta estória de abandonar totalmente o suporte às tomadas e aparelhos antigos , isto foi quase como um estupro.

    E a TV digital Brasileira é outro grande calo ( culpa do Lobista da Globo, o Hélio Bosta ), pois por causa disso vamos atrasar bastante a implantação da TV digital de alta definição por aqui ( por causa do nosso padrão único e exclusivo sempre será bem mais caro um decodificador ou TV digital usado aqui do que o usado na Europa, EUA e Japão, não temos escala para sustentar um padrão próprio, mas o pior de tudo é que os nossos aparelhos serão bem piores e com menos recursos ).

    ResponderExcluir
  24. Sobre o comentário do ariedam, a minha casa tem todas as tomadas com fio terra! :-)

    Tá bom, pra não dizer que são todas, a do banheiro é junto com o interruptor e só tem 2 pinos, e tem uma na cozinha, escondida, que também é de 2 pinos.

    Quando comprei a casa, em 2005, a instalação elétrica era precária e refi-la completamente. Quis fazer uma coisa bem feita, peguei um manual de eletricidade, coloquei disjuntores para dois conjuntos de tomadas, um só para as lâmpadas, 2 para o chuveiro e um interruptor só para desativar a campainha. E fiz questão de fazer aterramento, para todas as tomadas (sala, cozinha, quartos, lavanderia e chuveiro), obviamente com a tomada 4 da figura. E funciona bem para absorver pequenas fugas. No entanto, não absorve totalmente 127V ligados diretamente ao terra. Recentemente um capacitor de filtro do estabilizador entrou em curto entre a fase e o terra, e os outros aparelhos ligados no terra começaram a dar um "choquinho". Ou seja, embora tenha diminuído bastante a intensidade do choque que eu poderia levar no estabilizador, outros aparelhos que não têm nada a ver com a história passaram a dar choque também, o que não é bom. Talvez para isso eu devesse ter usado uma barra maior (usei 1,2m).

    Na época eu soube da existência dos DDR, mas precisaria abrir um buraco na parede só para eles, são mais caros, ouvi falar que ficam desligando sozinhos; enfim, não instalei.

    ResponderExcluir
  25. Intruder A628/2/10 12:33

    Em vez de uma haste deveria ter usado 3 ( a sua resistência de aterramento ficou alta ) e mesmo assim era capaz de não ficar perfeito, o seu solo deve ter alta resistência.

    ResponderExcluir
  26. Bom eu nao manjo nada de elétrica, meu pai é que tinha algum conhecimento.

    Em casa é tudo do contra - 99% das tomadas são do padrão nr 4. Justamente pelo uso de computadores pela casa, e a facilidade de uso dessas tomadas.

    Ainda mais do contra, na Grande São Paulo tudo é 110V ou (127V) como queira, a minha casa é uma das poucas 220V (me causa um pouco de problemas com a compra de lampadas, e alguns produtos eletronicos) mas em todo o caso ...

    Bom segundo meu pai na época era melhor ter o 220V pelos problemas de oscilação que tinha a região.

    Tenho um aterramento relativamente simples, 2 barras de 2 mts ... e o Neutro da Eletropaulo - vai ligado nele.

    Antes de mudar de 127v para 220v, equipamentos que queimavam com certa facilidade nos problemas de interrupção de energia na região, pois segundo meu pai volte e meia havia queda de fase no neutro e Cabum !!!! rsrsr



    Minha unica gambiarra tecnologia e que alguns aparelhos que não são bivolts por falta de grana pra comprar trafos para alguns usos, eu uso 1 fase e o neutro e tenho os 127V para ligar o equipamento. Pelo menos até hoje não me causou problemas e A tomada 4 facilita até nisso.


    * Desculpe se falei besteira, mas elétrica definitivamente não é meu forte.

    ResponderExcluir
  27. Aqui em casa é tudo no padrão 4, menos arcondicionado e maquina de secar roupa....

    Maior bobagem essa história de novas tomadas... Primcipalmente pelo fator de ter 2, uma de 10A e outra de 20A... Pra que isso?

    ResponderExcluir
  28. "uma de 10A e outra de 20A... Pra que isso?"

    É normal. Procedimento de segurança.

    A tomada de ar condicionado do padrão antigo era (é) propositalmente diferente por exatamente o mesmo motivo: evitar que você conecte um aparelho de alto consumo em um circuito que não foi dimensionado para isso. É claro que isso prevê residência feita dentro das normas e manutenção realizada apenas por quem sabe o que está fazendo, senão o indivíduo simplesmente troca uma tomada pela outra achando que é "frescura".

    O circuito de ar condicionado é, por norma, independente dos circuitos de iluminação e (outras) tomadas. E dimensionado para suportar isso.

    Agora, nada impede o indivíduo de projetar toda a sua residência para 20A e usar apenas esse tipo de tomada. Não é uma boa idéia, entretanto. E não creio que seja permitido por norma.

    ResponderExcluir
  29. E não creio que seja permitido por norma.

    E desde quando pedreiro faz alguma coisa seguindo normas.

    Quantas reformas em residências você tem oportunidade de acompanhar - onde alguém chama um Expert em Elétrica Predial para acompanhar.

    Normalmente todo mundo segue aquilo que aprendeu com alguém conta com a ajuda de alguém, mas nada profissional. Isso não é obra privada. Não tem validação de nada.

    La Garantia Soy Jo.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  30. Quando eu disse "não creio que seja permitido por norma." estava querendo dizer que, mesmo que alguém doido o bastante me pagasse, eu (e qualquer técnico que mereça seu diploma) não faria um projeto assim. :-)

    ResponderExcluir
  31. Obrigado pelas dicas de aterramento (Intruder e Ygor). Pensando melhor depois, se o terra fosse melhor a ponto de não sentirmos choque, eu não teria percebido que o estabilizador estava com um capacitor em curto (exceto talvez pelo cheirinho de queimado), e estaria gastando uma tonelada de eletricidade direto para o terra.

    Por outro lado, acho que algum fusível iria se queimar no caminho, do filtro de linha ou do próprio estabilizador, se estiverem ligados corretamente na fase, e não no neutro (não chequei isso); ao menos as tomadas estão instaladas conforme as normas (sobre a posição do neutro e da fase).

    Enfim, o melhor mesmo é instalar um DR. Iria cair na hora que o capacitor se queimasse.

    ResponderExcluir
  32. Alguém láááá atras falou que "se o motivo fosse comercial" até ia... permita-me postar um trecho de um texto que esta em outro blog aqui. Leiam e reflitam se a ideia básica não foi de encher as burras de alguém de grana e o povo que se f0d@.

    http://revistaveja.wordpress.com/2009/10/24/jabuticaba-eletrica/

    "Mas, se as coisas fossem assim tão fáceis e baratas, para que um comitê? Coisas estranhas foram elucubradas por seus membros. Uma delas é o plano de usar plugues e tomadas para mexer na balança comercial brasileira. Ao criar um modelo nacional, o comitê entendeu que isso seria uma forma de ampliar o mercado de eletroeletrônicos produzidos no Brasil. “Essa mudança sem dúvida beneficiará as empresas brasileiras”, diz Alfredo Lobo, diretor de qualidade do Inmetro. É uma ideia interessante: longe de ser confundida com focinho de porco, a tomada jabuticaba deve ser vista como uma bandeira do protecionismo comercial. É igualmente razoável imaginar o efeito contrário. “O fato de os terminais elétricos brasileiros terem ficado diferentes dos existentes no resto do mundo cria um problema que não existia”, diz o engenheiro eletricista Norberto Nery, do Instituto Mauá de Tecnologia. “Agora os aparelhos importados precisarão seguir o padrão brasileiro e os exportados precisarão ser adaptados às normas estrangeiras.”"

    Assim sendo... mexer na balança comercial? Proteção a industria nacional?

    ACORDEM POVO! A reserva de mercado durou não sei quantos anos e só serviu pra nos atrasar! Nossa industria infelizmente é atrasada e em alguns caso sucateada!

    Usar um padrão que existe desde 1986 e **NINGUÉM** quis usar é realmente dar um tiro no pé. Se já fazem só 24 anos que a IEC 60906-1 foi criada e todo o resto do mundo refutou, não é porque esse paisinho de merda aqui adotou que algum outro pais sério vai mexer no que está quieto.

    Jefferson, me desculpe pelo exaltamento, se houver alguma parte que não se enquadre, sinta-se a vontade pra editar ou se não der pra editar recuse o comentário, mas me avise e cite o que devo retirar que eu reenvio o comentário.

    ResponderExcluir
  33. Eu me espanto de ainda ter que ler esse papo furado de "proteger indústria nacional". Eu quero que a indústria nacional se exploda!

    Como indivíduo, quero ter acesso ao melhor produto pelo menor preço. Se a indústria nacional não tem competência pra me oferecer isso, problema é dela.

    As taxas e as normas bizarras só servem pra que menos brasileiros tenham acesso a tecnologia, e paguem muito mais caro por isso.

    ResponderExcluir
  34. Algum politico comeu dinheiro nessa história. Sem falar que isso é pra beneficiar alguém de alguma fábrica de adaptadores.

    ResponderExcluir
  35. Eles insinuam uma melhor segurança no novo padrao. É importante verificar se futuramente os casos de mortes por choque eletrico vão diminuir ou se isso foi uma grande palhaçada para arrecadar dinheiro. Mas eu sei que futuramente elas vão esquecer e não vão ligar (porque brasileiro é assim mesmo, acomodado.) Mas o fato é que creio que mais mortes acontecerão por agora mais do que nunca! O pessoal de baixa renda, mais humilde, que não vai ficar comprando (pois não tem dinheiro pra isso) tomada nova pra casa toda, simplesmente vão chamar aquele "eletricista mamão" (porque no brasil, quem aprende a emendar fio é eletricista.) e fazer um pequeno "armengue" (também conhecido velho dos brasileiros.). Não se assuste, mas já vi pessoas usarem fita durex como fita isolante....
    Alguem ainda acha que isso trará mais segurança?

    ResponderExcluir
  36. Lex,

    Eu tenho sérias dúvidas de que o choque que uma pessoa leva com as pontas dos dedos em um plug possa levar à morte. É por isso que eu falo de "conversa mole".

    "mas já vi pessoas usarem fita durex como fita isolante...."

    Esparadrapo também.

    ResponderExcluir
  37. Intruder_A68/3/10 13:24

    Mas o pior é que não vai impedir que as crianças levem choque metendo o prego na tomada. Por sinal tenho uma tomada do formato velho ( de uma marca famosa, que infelizmente não lembro o nome agora ) que é praticamente impossível uma criança enfiar o prego nela, mas esta não esta não tem nenhuma proteção contra crianças pequenas com prego. A verdadeira proteção para este tipo de evento é mesmo o DR.

    ResponderExcluir
  38. Já vi muito esparadrapo sendo usado como fita isolante. Aqui onde trabalho - órgão público - isto é muito comum.

    ResponderExcluir
  39. Caio Rauen8/4/10 22:50

    Reforma ortografica, novo padrao de tomada, ENEM, vestibular, WTF!, da vontade de nem morar mais aqui.

    Olha, que palhacada isso viu... Fiquei um tempo morando fora do BR e quando voltei que soube do "novo" "padrao" brasileiro (ohhhhhh).

    Sinceramente, o brasil so sabe andar pra tras.

    Alias, vao padronizar tambem a voltagem? Porque ainda hoje no BR temos 110 e 220.

    Imagina so, pra piorar, so faltava padronizarem pra 220v 50hz

    ResponderExcluir
  40. No apartamento do meu irmão, a construtora colocou todas as tomadas de 20A e eu duvido que a fiação seja adequada para ligar equipamentos que requeiram 20A em todas as tomadas.

    ResponderExcluir
  41. Você está certo. Por norma (e essa faz sentido) os pontos de uso geral são projetados para um máximo de 10A cada. E a fiação das tomadas de uso geral suporta um pouco mais que isso, mas não chega a 20A.

    Projetar para 20A não é proibido (que eu me lembre), mas o custo em fiação é significativo e não traz vantagem palpável para os usuários.

    ResponderExcluir
  42. Não sei se já comentaram, mas a tomada 5 é usada no Chile...

    ResponderExcluir
  43. A tomada 5 se utilizada na aviação a muitos e muitos anos atrás, quanto a tomada 7 ela é do padrão europeu e é amplamanete utilizada em residências tb.

    ResponderExcluir
  44. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  45. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    7. João,

      Lamento, mas desisto. Não responderei mais seus comentários e nem os publicarei.

      Excluir
  46. O que ocorreu foi:
    os fabricantes nacionais, empurraram com a barriga literalmente, pois o assunto entrou em discussão após 1990 e nenhum dos fabricantes se interessou,isto eu ouvi num stand de uma Feira da Eletroeletrônica na década de 90-havia entre eles alguns concorrentes- apenas a Piall-Legrand
    interessou-se em agilizar, e recentemente um fabricante me confirmou que houve desinteresse praticamente por todos os outros fabricantes.
    Agora temos que enfrentar o resultado disto, como sempre neste país.

    ResponderExcluir

Siga as regras do blog ou seu comentário será ignorado.