-->

sábado, 20 de janeiro de 2007

Não, o iPhone não é mesmo esse balaio todo!

Nesta notícia do forumpcs, vemos que o Steve Jobs declarou que não vão exisitir programas de terceiros para o iPhone. Isso para mim encerra a questão. Um "tijolo" de US$599 (preço nos EUA com contrato de dois anos) que eu tenho que aceitar do jeito que veio da fábrica? Eu teria que confiar muito, mas muito mesmo na Apple, ou ter expectativas e necessidades muito básicas.

Não era para o aparelho ser "o fim do PDA"?

Na matéria, Jobs mais uma vez conta qual o segredo da estabilidade do MAC (que não é novidade para mim): tornar o sistema todo fechado.

Não, obrigado. Eu fico com a liberdade de instalar qualquer porcaria (e arcar com os possíveis travamentos) do meu TREO650.

4 comentários:

  1. fbsouza100021/1/07 14:39

    Concordo Plenamente!!!
    Trabalho com áudio e sou muito feliz com o PC! Acho muito desagradável me imaginar com um Mac e não ter as milhares de possibilidades em softwares que um PC oferece!

    ResponderExcluir
  2. Pessoal,

    Nessa eu fico na duvida, o MacOSX de hoje não é o mesmo de alguns bons anos - será que existe mesmo essa limitação mesmo com a entrada de mais e mais dos BSD's na Apple.

    O OpenBSD / FreeBSD - fazem parte do cotidiano do OSX - (desculpe se falo besteira) mas ja tem muita coisa portada dos *Nix Like para o OSX.

    Creio que o iPhone pode ganhar sim suas mutações e adaptações.

    ResponderExcluir
  3. Prefiro ficar com um PocketPC GSM, até pq o PalmOS já foi extinto(vide Treo 700 ou 750, não lembro). No momento estou namorando um Qtek 9090 ou um 9100. Possuem Wi-fi, Java, e o escambau, já tive a oportunidade de usar e fiquei maravilhado com a velocidade para assistir vídeos com Divx + legendas, etc. Pretendo usar com Skype em casa ou na faculdade e GPS conectado via Bluetooth, apesar de já estarem aparecendo modelos com GPS embutido, mas ainda estão muito caros e tendo o GPS separado, não corro o risco de ficar sem GPS caso o celular morra! :P

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Jonatas,

    O PalmOS não está extinto. Oito meses depois do lançamento do TREO700w (Pocket PC) saiu o TREO 700p (PalmOS - CDMA) e depois o TREO680 (PalmOS - GSM). E vem aí o Palm OS 6 (Cobalt) com suporte a dispositivos com até 640x960 de resolução.

    Mas embora o PALMOS não esteja extinto, já colocaram um prego no caixão de muitos aparelhos baseados nele. A plataforma Windows Mobile ganhou a recente vantagem de poder rodar programas PalmOS, com a ajuda do Styletap. Imagine um TREO700w que roda também os softwares do TREO700p?

    Ainda não é perfeito, mas impressiona.

    Diante disso, está mais fácil eu abandonar o PalmOS e abraçar o Windows Mobile (no aparelho que eu achar melhor) que botar dinheiro na conta do "estilista" Steve Jobs.

    ResponderExcluir

Siga as regras do blog ou seu comentário será ignorado.